andando por aí...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Portugal – Marialva (Aldeia Histórica) – Parte 2

 

O Castelo de Marialva, na Beira Alta, localiza-se na vila de Marialva, Freguesia e Concelho de Mêda. Distrito da Guarda, em Portugal.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo de MarialvaNo topo de um penedo granítico, a 613 metros de altitude,  em posição dominante sobre a vila e a planície cortada pela antiga estrada romana, encontra-se um verdadeiro complexo medieval,  estrategicamente colocado na região fronteiriça do rio Côa (Ribacôa), o Castelo de Marialva.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - porta do anjo da guarda 1A entrada para a cidadela ou vila, dentro da cerca amuralhada pode fazer-se pela Porta do Anjo da Guarda ou de S. Miguel, Porta do Monte, Porta de Santa Maria, ou ainda, pelo Postiguinho ou Porta da Traição.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  porta de entrada do castelo - anjo da guardaPorta do Anjo da Guarda ou de S.Miguel.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 4Torre de Menagem a esquerda e a direita Torre do Relógio. Ao meio, largo do pelourinho.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 3 Torre de Menagem à esquerda, Pelourinho no centro, antiga Câmara Municipal.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 2Ruinas da Cidadela.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 9Torre do relógio à esquerda e Torre do Monte ou dos Namorados. Porta do Monte à direita. Pelourinho e, ao lado, poço. À esquerda, antiga Câmara Municipal.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 10Ruinas da Cidadela ou Vila, no interior da muralha.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha 5Dentro das muralhas, na antiga vila, destacam-se a Torre de Menagem, a Igreja de Santiago, a Capela do Senhor dos Passos e o Largo do Pelourinho com as ruínas da Casa da Câmara e da Casa dos Magistrados e o Pelourinho.

 

Marialva - Glória Ishizaka - Castelo e igreja de Santiago 1Torre de Menagem, cemitério e Igreja Matriz de Santiago (refeita sobre a fundação românica nos sec. XVI/XVII, com portal manuelino . Foi abadia do padroado real, e conserva uma cruz processional de bronze, do séc. XV).

 

Marialva - Glória Ishizaka - igreja de santiago, capela do senhor dos passos e casteloIgreja de Santiago, Capela do Senhor dos Passos e Torre de Menagem.

 

Marialva - Glória Ishizaka - igreja de santiago e capela do senhor dos passos 3À esquerda, Igreja de Santiago e à direita Capela do Senhor dos Passos (seiscentista, apresenta púlpito exterior, torre sineira com acesso exterior e um adro lateral, que permite uma melhor integração do imóvel neste aprazível local.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo 1No seu interior, em cota bastante elevada, sobressaindo de um imenso maciço rochoso, a Torre de Menagem dominava toda a malha urbana. Trata-se de um edifício possivelmente, dionisino, de planta quase trapezoidal, completado e acrescentado mais tarde.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  porta de entrada do castelo 1Porta de entrada da Torre de Menagem que é rodeada por uma pequena cerca.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  porta de entrada do casteloVista exterior através da porta da Torre de Menagem.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  CasteloTorre de Menagem rodeada por uma pequena cerca. Este local pertencia ao alcaide de Marialva. Junto, existia um paiol construído durante a regência de D. Catarina, onde se guardava a pólvora.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  cidadela no interior da muralha e porta do MonteLargo do Pelourinho e ao fundo Torre do Monte ou dos Namorados. Porta do Monte à direita.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - pelourinhoPelourinho – é do século XVI. Coluna octogonal que assenta em quatro degraus é rematada por uma cúpula piramidal, do tipo gaiola. Ao lado, Poço, permitia o abastecimento de água, mesmo em caso de cerco ao Castelo.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Pelourinho, antiga camara municipal e antiga cadeia 3Largo do Pelourinho -  vêem-se as ruínas da Casa da Câmara e da Casa dos magistrados onde funcionava também o antigo Tribunal e Cadeia.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - ruaCom a supressão do concelho de Marialva em 24 de Outubro de 1855, este núcleo entrou em decadência e a sua desocupação levou à ruína das casas da Vila.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - torre sineiraCampanário.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Capela de Santa Barbara ou da Curvaceira 1Capela de Santa Bàrbara ou da Curvaceira – localizada ao lado da muralha do Castelo.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Capela de Santa Barbara ou da Curvaceira - vista do muro do castelo 2O castelo compunha-se de ampla murralha de configuração ovalada, construída em grandes silhares de pedra granítica da região e adaptada às condições topográficas da área em que foi implatada. Esta cerca viria a ser reforçada, no século XIV, por três torreões de planta quadrangular denominados do Relógio, do Monte ou dos Namorados e da relação.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - porta do MonteMuralha do Castelo e Porta de Santa Maria. No interior, ruínas da antiga vila.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - torre 1Muralha do Castelo e ruína da Torre do Monte ou dos Namorados.

 

Marialva - Glória Ishizaka -  Castelo - torre Ruínas da Torre dos Namorados ou do Monte.

 

Marialva - Glória Ishizaka - muralha  do castelo 3Muralha do Castelo e paisagem em redor.

 

Marialva - Glória Ishizaka - muralha  do castelo 1Muralha do Castelo e ruinas da antiga vila.

 

Marialva - Glória Ishizaka - vista a partir da muralha  do castelo  Paisagem ao redor do Castelo.

 

Lenda

Na actual região da beira alta, mais concretamente na aldeia histórica de Marialva, vivia há muitos séculos atrás uma donzela muito formosa. Um certo dia um nobre encantado com a sua beleza e querendo desposá-la encomendou os serviços de um sapateiro pedindo-lhe que fizesse uns sapatos para a donzela em questão. Como se tratava de uma surpresa o sapateiro teria de arranjar uma maneira de conseguir fazer um molde dos pés da donzela para acertar no tamanho do pé, certo dia e sem que esta desse por isso espalhou farinha aos pés da cama da donzela para que quando esta se levantasse, deixasse a marca na farinha espalhada no chão, e assim foi. O sapateiro percebeu pela forma deixada no chão que a donzela tinha "pés de cabra", mas mesmo assim fez uns sapatos adequados. Quando o nobre entrega o presente à donzela, esta com o desgosto de saber que já todos sabiam do seu defeito, atira-se da torre do castelo. A donzela chamava-se Maria Alva e ainda hoje, mesmo em ruínas podemos ver a torre do castelo.(Wikipedia)

2 comentários:

Anónimo disse...

Muito interessante trabalho!
Parabéns.

Elisabete Ramos disse...

Excelente trabalho. Parabéns! Tomei a liberdade de fazer a ligação dos seus posts no Facebook, no mural da Três Rs. Cumprimentos. Elisabete Ramos