andando por aí...

domingo, 17 de abril de 2011

Portugal – Palácio Nacional de Queluz (Parte 1)

 

O Palácio Nacional de Queluz foi residência real de duas gerações de monarcas. A sua construção deve-se à iniciativa de D. Pedro III (1717-1786) a quem a Quinta de Queluz pertencia, enquanto terceiro Senhor da Casa do Infantado, criada em  1654 por Alvará do Rei D.João IV em favor dos filhos segundos dos Reis de Portugal.

 

Palacio de Queluz - estátua de D.Maria IA estátua de D. Maria I situa-se no Largo do Palácio Nacional de Queluz. João José de Aguiar, português, autor da obra, elaborou em mármore de Carrara as estátuas e baixos relevos, nos finais do século XVIII (1794), qaundo estava a estagiar em Roma. Esta estátua foi criada a pedido de Pina Manique, que desejava eternizar a rainha, D. Maria I.

 

Palacio de QueluzO Palácio Nacional de Queluz apresenta marcas de influências francesas e italianas (séc. XVIII e XIX), quer nos espaços interiores, quer nos jardins, num período que percorre o barroco, o rocaille e o neoclássico.

 

Palacio de Queluz - Sala do TronoSala do Trono ou “Casa Grande” – é a maior das três salas de aparato do Palácio e data de 1774. Da autoria do arquiteto francês, Jean Baptiste Robillon, foi concebida ao gosto “rococó” francês e ocupa o espaço onde existiam cinco salas.

 

Palacio de Queluz - Sala da musica 11Sala da Música – Aquí tiveram lugar serões musicais com participação de músicos contratados pela rainha D. Maria I para a sua orquestra de câmara. Muitas peças foram aquí apresentadas pela primeira vez nos aniversários reais. Serviu ainda de corpo de Igreja em ligação com a Sala do Trono e foi usada pela Princesa D. Carlota Joaquina para sua Sala de Audiências e cerimônia do beija-mão.

 

Palacio de Queluz - capela do palacio 2Capela do Palácio – Projetada por Mateus Vicente de Oliveira, foi um dos primeiros espaços a serem construídos (c. 1752). A cúpula da capela-mor tem uma cobertura exterior em forma de bolbo, revestida de cobre, ao gosto centro europeu. A talha dourada de inspiração “rococó” é de Silvestre de Faria Lobo e as paredes e teto são decorados com pintura e tingidos imitando mármore e lápis lázuli. O retábulo do altar-mor, representa Nossa Senhora da Conceição (orago de Queluz).

 

Palacio de Queluz - aposentos da princesa d. maria franciscaAposentos da Princesa D. Maria Francisca Benedita (saleta) – conjunto de apartamentos privados que serviram de aposentos à princesa D. Maria Francisca Benedita (1746-1829) irmã da rainha D. Maria I. A decoração é inspirada em temas pompeianos.

 

Palacio de Queluz - aposentos da princesa d. maria francisca 1Aposentos da Princesa D. Maria Francisca Benedita (quarto D. Maria) – quarto de dormir, decorado no estilo D. Maria, de inspiração em temas pompeianos, com motivos de palmelas, esfinges aladas e grinaldas de flores.

 

Palacio de Queluz - aposentos da princesa d. maria francisca - quarto imperio 2Aposentos da Princesa D. Maria Francisca Benedita (Quarto Império) – Quarto de dormir, em estilo Império, reflectindo a moda vinda da França em e em auge no início do século XIX.

 

Palacio de Queluz - sala de fumoSala de Fumo – Função que tinha na segunda metade do séc. XIX, época em que o ato de fumar fazia parte do quotidiano da corte, após a refeição.

 

Palacio de Queluz - Sala de jantar 1Sala de Jantar – a denominação reporta-se ao século XIX, consequência da função que lhe foi dada pelos últimos monarcas. O local onde era literalmente “posta a mesa” variava segundo a ocasião e o gosto pessoal dos monarcas, não existindo um espaço fixo de refeições.

 

Palacio de Queluz - Sala dos azulejosSala dos AzulejosCorredor das Mangas - Sala de ligação entre o Paço Velho (finais do século XVI) e as novas edificações (século XVIII) dos arquitetos Mateus Vicente de Oliveira e Jean-Baptiste Robillion. Aquí seriam guardadas as mangas de vidro para proteção das velas.

 

Palacio de Queluz - Sala dos azulejos.1Sala dos Azulejos – Corredor das Mangas - Os painéis de azulejo policromados, neoclássicos, de 1784, representam as Quatro Estações, os Quatro Continentes, cenas de mitologia clássica, “singeries” e “chinoiseries”.  O lambrim em azul e branco, de 1764, representa cenas de caça e de quotidiano.

 

Palacio de Queluz - quarto de D.JoséQuarto D. José – Mobilado em estilo D. José, em voga no 3º quartel do séc. XVIII. Predominam as madeiras exóticas e escuras como o pau-santo.

 

Palacio de Queluz - Sala dos archeiros 1Sala dos Archeiros – Também chamada do “Corpo da Guarda”, era a entrada do Palácio. Encontra-se atualmente mobilada em estilo D.Maria.

 

Palacio de Queluz - Sala dos particularesSala dos Particulares – Usada no tempo do príncipe D. João (1792-1807) como sala de espera dos camaristas. No tempo de D. Luís (1838-1839) e de D. Carlos (1863-1908), foi utilizada para Sala de Reuniões ou Biblioteca. Atualmente está mobilada no estilo Império, usado também no Palácio de Queluz no início do século XIX.

 

Palacio de Queluz - Sala dos embaixadores 1Sala dos Embaixadores – A sua construção decorreu entre 1754 e 1762, segundo o risco de Jean-Baptiste Robillion. Originalmente designada por Barraca Rica, Sala das Colunas, dos Serenins e Galeria, passou a ser conhecida, depois de 1794, durante a regência do prícipe D. José e a Rainha D. Mariana Vitória.

 

Palacio de Queluz - Sala dos embaixadoresSala dos Embaixadores – A existência de dois espaços para tronos, delimitados pelas colunas em espelho, justificava-se pelas funções em que a rainha e o rei eram acompanhados pelos Príncipes do Brasil, título porque eram conhecidos os Príncipes Herdeiros. Completa a decoração desta sala um conjunto de grandes vasos de porcelana da China.

 

Palacio de Queluz - Sala do despachoSala do Despacho – Espaço que integra o Pavilhão Robillion construído pelo arquiteto Jean-Baptiste Robillion em finais do século XVIII. Decorada em estilo neoclássico, com pinturas de ruínas da Antiguidade Clássica de Giovanni Berardi, foi usada pelo Príncipe D. João, para reuniões ministeriais e despacho.

 

Palacio de Queluz - Sala das AçafatasSala das Açafatas – Sala em que as açafatas e as aias ao serviço das rainhas D. Maria e D. Carlota Joaquina aguardavam ordens.

 

Palacio de Queluz - Sala da merenda.1Sala das Merendas – Destinada a sala de jantar privada dos aposentos reais, estava em conclusão em 1767. As quatro telas que a decoram representam merendas de caça e parecem constituir uma alegoria às diferentes estações do ano.

 

Palacio de Queluz -  Quarto D.QuixoteQuarto D. Quixote – Construído entre 1759 e 1774, contém pinturas com cenas da vida de D. Quixote de La Mancha. Usado inicialmente como sala de café e posteriormente como quarto de dormir, aquí nasceram os filhos de D. João VI e de D. Carlota Joaquina e aquí morreu em 1834 o rei D. Pedro IV.

 

Palacio de Queluz -  Quarto D.Quixote detalhe tetoQuarto D. Quixote – detalhe do teto.

 

Palacio de Queluz - Oratório Quarto D.QuixoteQuarto D. Quixote – Oratório – O oratório era comum aos quartos de D. Quixote e da Princesa Carlota Joaquina. Atualmente existe um oratório em casquinha entalhada e dourada, atribuído a António Ângelo.

 

Palacio de Queluz - quarto da princesa d. carlota joaquina 1Quarto da Princesa D. Carlota Joaquina – Única sala do Palácio cujos ornatos são em pasta de papel prateada, foi quarto de dormir de D. Pedro III, do príncipe D. João e de D. Carlota Joaquina. Notempo de D. Miguel foi usada como sala de despacho.

 

Palacio de Queluz - quarto da princesa d. carlota joaquinaQuarto da Princesa D. Carlota Joaquina

1 comentário:

Eduardo Bilé disse...

Olá bom dia Glória, adorei ver o seu blogue.Parabéns